Como escolher o travesseiro correto? Parte 2


Em nosso segundo post da série “Como escolher o travesseiro correto”, vamos falar sobre como escolher o melhor preenchimento e revestimento para o seu travesseiro. Lembre-se que: saber antecipadamente qual é o produto de sua preferência pode facilitar a compra.

Clique aqui e confira o primeiro post dessa série, onde explicamos como escolher o melhor travesseiro conforme a sua posição para dormir.

 

Qual é o revestimento do travesseiro?

Na hora de escolher o travesseiro e produtos de cama ideais, pode surgir ainda a dúvida quanto ao melhor tecido.

Conheça um pouco sobre os três materiais mais utilizados para revestimento de travesseiros:

 

  • Algodão

O tecido de fibra de algodão é de origem natural e é proveniente da planta algodão, utilizada desde a antiguidade e cultivada em praticamente todos os continentes do mundo.

Vantagens: é um material leve, absorvente e respirável, com boa sensação térmica. Tem boa durabilidade, não forma “bolinhas” com o atrito e resiste bem às lavagens em máquina.

Desvantagens: tecidos de algodão amassam facilmente e necessitam de maior cuidado, sendo que podem lacear ou encolher com o uso e as lavagens.

Fique sempre atualizado!
Fique sempre atualizado!

Veja as variações abaixo:

• Percal 200 fios – variação do tecido de algodão plano. Tem sua estrutura caracterizada pelo entrelaçamento dos fios mais fina e fechada. Proporciona mais resistência e maciez ao tecido, sendo considerado um dos tecidos de algodão de maior qualidade.

 

Para adultos:

Travesseiro-Impermeável-Antirrefluxo-Adulto

 

 

 

 

 

 

 

Joelho-e-Tornozelo

 

 

Para crianças:

Antirrefluxo-infantil-para-berço

 

 

Travesseiro-infantil-Visco-Baby

 

 

• Malha de algodão – variação do tecido de algodão. É um tecido maleável e com bom caimento, devido a seu processo de produção.

 

Para adultos:

Body-Comfort

 

cervical

 

  • Poliéster

O tecido de poliéster é de origem sintética, ou artificial, pois suas fibras são produzidas a partir de resinas derivadas de petróleo.

Vantagens: é um tecido resistente e prático, que não amassa com tanta facilidade como o tecido de algodão. Além disso, é um tecido que seca depressa após ser lavado. Seu custo geralmente é menor do que os produtos de origem natural e a sua estrutura é mais flexível. Dessa maneira, pode ser trabalhada para conseguir propriedades diferentes, gerando tecidos como o cetim, por exemplo.

Desvantagens:maior sensação de calor, pois seu tecido dificulta a passagem de ar, tem menor durabilidade, pode formar bolinhas sobre o tecido com o passar do tempo e pode queimar e ser danificado por altas temperaturas, como a do ferro de passar.

Você pode encontrar produtos em poliéster nas variações:

• Poliéster com tecnologia Frostygel e Hikoflex – poliéster com conforto térmico que proporciona bem-estar por ser termoestável e impede que o travesseiro ou produto de cama sobreaqueça durante o uso.

Travesseiro-Ice-Pillow

 

• Poliéster fiado com acabamento Toque de Rosas – tecido com recheio e acabamento pespontado (desenho) em formato de losangos. O fio prateado no losango indica que o produto possui a proteção de Íons de Prata, tecnologia que extermina ácaros, fungos e bactérias.

Travesseiro-No-Allergy-Personal-Mix

 

 

Travesseiro-Silicomfort

 

 

Travesseiro-infantil-Silicomfort-Baby

 

 

• Poliéster fiado com acabamento Ponto de Prata – tecido com recheio e acabamento pespontado (desenho) em formato de pontos de prata. Também possui proteção de Íons de Prata.

 

Capa-Multiuso-Personal-Care

 

Malha especial de poliéster – trabalhada em malharia própria, com desenhos especiais no tecido.

 

Travesseiro-No-Allergy-Flutuante

 

 

Travesseiro-No-Allergy-Ortopédico

 

 

Travesseiro-No-Allergy-Fibra

 

• Poliéster multifilamento – tecido com um toque único de plush (peluciado) – macio, sedoso e aconchegante.

 

Apoio-cervical-My-Travel

 

  • Viscose

A fibra de viscose é originada da celulose, que pode ser encontrada em todas as plantas, especialmente em madeira de árvores. Seu desenvolvimento é feito com processos de produção especiais para manter suas qualidades naturais, junto a alguns componentes químicos.

Vantagens: esse tecido é leve e possui boa circulação de ar. Além disso, é biodegradável e não perde suas propriedades quando tingido.

Desvantagens: após lavagens em água quente, o tecido pode encolher ou alargar.

Travesseiros no mercado que usam este tecido em seu revestimento: Amazonlatex e Eucaliptus da Fibrasca, entre outros.

Além de conhecer os tipos de revestimento, é importante também fazer a escolha de um bom preenchimento. Afinal, é ele é um importante determinante para o tempo de vida do travesseiro e para a qualidade do seu sono.

 

Qual é o conteúdo do travesseiro?

O mercado oferece diferentes tipos de preenchimento para os travesseiros. Conheça os principais materiais de preenchimento e suas características, e esteja preparado para a compra do seu travesseiro ideal:

 

  • Travesseiro de flocos de espuma

Feito de espuma comum em flocos, o que contribui para a circulação do ar.

Vantagens: Esse travesseiro é muito macio, volumoso e geralmente o seu preço é mais em conta.
Desvantagens: Quando os flocos fogem do lugar pode se tornar desconfortável, deixando a cabeça e pescoço desalinhados. Seu material não é antialérgico e vai se compactando conforme o tempo de uso.

 

  • Travesseiros de espuma viscoelástica (Conhecido como Travesseiro da Nasa)

A espuma viscoelástica, popularmente conhecida como uma tecnologia da NASA ou espuma de memória, é um material denso que se molda ao corpo e distribui o peso exercido sobre ele.

Esse material é mais pesado, se comparado com os outros tipos de preenchimento. Além disso, ele pode demorar alguns segundos até se estabilizar, situação que pode ser percebida ao apertar o material com o dedo. A marca vai permanecer durante alguns segundos e, lentamente, o travesseiro retorna até o seu estado original. Esse efeito é conhecido como efeito memória.

Vantagens: travesseiros de viscoelástico possuem resiliência, ou seja, retornam à forma original. Moldam-se com perfeição ao redor da cabeça e do pescoço, provendo suporte mais firme e sustentação correta.
Tem boa durabilidade e sua tecnologia é reconhecida por promover a correta distribuição do peso da cabeça sobre o travesseiro, favorecendo a circulação sanguínea e evitando problemas como o formigamento.

Desvantagens: por serem mais resistentes e com densidade mais alta, os travesseiros de viscoelástico são considerados mais duros. Por isso, em seu primeiro uso é necessário um período de algumas semanas para que o usuário possa se adaptar definitivamente ao suporte diferenciado deste produto.

 

  •  Travesseiro de látex natural

São travesseiros pesados e maleáveis, produzidos a partir da seiva de seringueiras.

Vantagens: são confortáveis e naturais, com boa ventilação.

Desvantagens: o látex natural frequentemente causa alergias. Por isso, antes da compra é importante verificar se já há alguma sensibilidade ou propensão em desenvolver essa sensibilidade.

 

  • Travesseiro de espuma látex sintético

São travesseiros mais firmes, mas que se adaptam bem em qualquer posição. A sua estrutura permite a circulação do ar, trazendo mais frescor para as noites de sono.

Vantagens: são confortáveis, firmes, com ótima durabilidade, boa ventilação e antiácaros.

Desvantagens: a exposição ao sol pode reduzir a vida útil do produto e nem todos os modelos podem ser lavados integralmente. Por esse motivo, a limpeza e o cuidado requerem um pouco mais de atenção.

 

 

 

  • Travesseiro com plumas ou penas de ganso

São travesseiros tradicionais, considerados nobres no mercado.

Vantagens: são muito macios, leves e confortáveis. Tem apelo biodegradável e promovem suporte pela estrutura das penas e plumas.

Desvantagens: suas penugens podem irritar as vias respiratórias, causando alergias. Não são recomendados para pessoas que dormem de lado e tem perfil alto, pois, com a pressão da cabeça no decorrer do uso, o material facilmente afunda, dificultando que a coluna fique alinhada.

 

  • Travesseiros de Fibra

São conhecidos como pluma sintética de poliéster siliconado, pois são produzidos artificialmente para imitar a pluma e ter a resiliência e toque de silicone. Atualmente, nessa modalidade o mercado já conta com opções integralmente laváveis em máquina, que garantem maior durabilidade ao produto.

Vantagens: são macios, leves, volumosos e geralmente são ofertados a um valor mais acessível.

Desvantagens: nem todos os modelos possuem proteção antiácaros. Por isso, é ideal optar por um produto que conte com proteção contra agentes nocivos (ácaros, fungos e bactérias). Sua durabilidade não é tão longa quanto os travesseiros de espuma. Sua troca é recomendada em até, no máximo, dois anos após a compra – ou no momento em que não há mais a sustentação da cabeça.

 

  • Travesseiro de espuma de Poliuretano

É mais firme, produzido a partir dos principais materiais utilizados na produção do viscoelástico e do látex sintético.

Vantagens: auxilia na sustentação correta da cabeça, sendo firme, porém macio. É mais acessível e conta com modelos diferenciados no mercado: os que têm células abertas e com respiro ativo, os que são integralmente laváveis, os que têm formatos anatômicos e os que têm toque de silicone com conforto único (espuma siliconizada Silicomfort, por exemplo).

Desvantagens: por ter uma estrutura mais básica, o produto pode não possuir a mesma durabilidade, flexibilidade ou resistência de outros com maior densidade.

Dica: É necessário explorar e se informar sobre as características do travesseiro em espuma de poliuretano, pois é um material com potencial tecnológico e conta com várias versões disponíveis no mercado.

 

Acima, explicamos os principais tipos de revestimentos e preenchimentos dos travesseiros. Mas, antes de tomar a sua decisão final quanto à escolha do travesseiro, lembre-se de levar em consideração esses itens:
• Qual é o revestimento do travesseiro? É resistente e possui boa circulação de ar?
• Qual é o preenchimento do travesseiro? Tem boa durabilidade?
• O travesseiro é fácil de ser higienizado? Pode ser lavado em máquina?
• É antialérgico? Tem alguma proteção contra agentes nocivos à saúde?
• O material do travesseiro proporciona regulação térmica?

Agora que você já sabe como tomar a sua decisão, separe um tempo para escolher bem o seu travesseiro e garanta noites de sono mais agradáveis!

Previous Como escolher o travesseiro correto? Parte 1
Next Quando devo fazer a troca do meu travesseiro?

MENU

Back