O sono  das crianças é algo sagrado e deve ser respeitado ao máximo. Afinal, os benefícios neurológicos de uma boa noite de sono vão além da reposição das energias gastas durante o dia.

Dormir bem é importante para consolidar o aprendizado adquirido durante o dia, aumentar a capacidade intelectual e garantir estabilidade emocional para os pequenos. No entanto, devido a uma avalanche de informações, muitas mães têm dificuldade em saber o que, de fato, ajuda ou atrapalha na saúde noturna dos filhos.

Se esse é o seu caso, veja os mitos e verdades sobre o sono  das crianças que listamos aqui!

Quanto mais se dorme, melhor

Mito. O sono deve ser reparador, ou seja, a criança precisa acordar descansada e espontaneamente. Existe uma recomendação científica de que bebês devem dormir por até 16 horas de forma segura, enquanto que, para crianças de até 10 anos, o aconselhável é de 10 a 11 horas de sono.

Porém, outros fatores interferem na qualidade do sono, tais como: barulhos intensos, luzes intermitentes, rotina noturna agitada e falta de orientação dos pais. A cama e o travesseiro também devem ser adequados para cada faixa etária e o quarto, permanecer escuro para estimular a liberação dos hormônios do sono.

Fique sempre atualizado!
Fique sempre atualizado!

Não é bom dormir com a barriga cheia

Verdade. A criança que dorme de estômago cheio sente mais dificuldade para iniciar o sono, pois, dependendo da refeição que foi consumida, a digestão tende a ser lenta e, assim, o desconforto estomacal acontece. Já está consolidado que a alimentação influencia na qualidade do sono.

Alimentos muito processados ou com alto teor de carboidratos causam uma sensação de empanzinamento, que dificulta o adormecer. Porém, esse comportamento não é contraindicado, apenas não recomendado. As crianças que não possuem dificuldade para dormir não sofrerão com esse problema.

Todo bebê aprende a dormir sozinho

Mito. O bebê precisa compreender a rotina do sono que será orquestrada pelos pais. Para que ele aprenda a dormir sozinho, os adultos devem manter a rotina de apagar as luzes, reduzir o ritmo da casa, tomar um banho (se necessário) e finalizar o processo com a contação de uma história ou uma cantiga de ninar. Se esse padrão se mantiver até mesmo com o avançar da idade, a criança sempre conseguirá dormir sozinha tranquilamente.

É possível modificar a rotina do sono

Verdade. O organismo da criança está em fase de adaptação e, por isso, é possível alterar a rotina do sono em qualquer idade. Todavia, quanto mais cedo melhor.

Para os pequenos que vão para a cama tarde da noite ou acordam cedo demais, algumas estratégias podem funcionar. Os principais exemplos são restringir artefatos eletrônicos durante a noite, estimular a realização de atividades que gastam energia durante o dia e utilizar objetos de transição (mantinhas, bichos de pelúcia).

O sono  das crianças ainda é cercado de incertezas, e elas influenciam fortemente na qualidade de vida dos pequenos. Por isso, conhecer os mitos e verdades e entender os fundamentos clínicos das orientações  são os primeiros passos para ajudar os pequenos a dormirem bem.

E você, o que faz para garantir um sono satisfatório ao seu filho? Tem uma técnica preferida? Já precisou alterar alguma conduta nesse sentido? Conte sua experiência pra gente aqui nos comentários!

Anterior Como o travesseiro pode impactar na qualidade do sono de crianças?
Próximo 5 dicas para cochilar da melhor forma possível

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *