Você dorme demais? Cuidado com esse hábito


Sabemos que os travesseiros Fibrasca são ótimos para dormir. Mas dormir demais, além da conta, pode não ser tão bom assim, sabia? Quem dorme demais tem um risco maior de desenvolver doenças cardíacas, que estão entre as principais causas de morte no Brasil! Vários estudos têm apontado essa relação, e um deles, publicado na Europa, mostrou que as pessoas que dormem mais de 9 horas por noite têm mais chances de ter dores no peito (angina) e obstruções das artérias que levam o sangue para o coração.

O que dizem as pesquisas

Os pesquisadores ainda não sabem se dormir em excesso causa as doenças do coração ou se os problemas cardíacos pré-existentes levam as pessoas a dormir mais. De qualquer forma, qualquer anormalidade no tempo de sono deve ser investigada. Até porque dormir pouco também está associado a vários problemas cardíacos. De acordo com o mesmo estudo, pessoas que dormem menos de seis horas por noite tem o dobro do risco de ter um infarto.

Enquanto os efeitos negativos de dormir pouco já são bem conhecidos, a ciência vem descobrindo que o sono prolongado podem ser ainda mais prejudicial. Já se sabe que, além das doenças cardíacas, dormir além da conta pode aumentar o risco de outras doenças, como:

– Diabetes;
– Derrames cerebrais;
– Obesidade;
– Depressão;
– Demência.

Quantas horas precisamos dormir?

O número ideal de horas de sono para cada pessoa é aquele que, no outro dia, faz você sentir que dormiu o suficiente. Não há um número certo para cada pessoa, mas a Fundação Nacional do Sono, nos Estados Unidos, analisou várias pesquisas científicas e definiu quantas horas de sono são necessárias diariamente para não prejudicar a saúde, de acordo com cada idade:

Recém-nascido (0 a 3 meses): 14 a 17 horas;
Bebê (4 a 11 meses): 12 a 15 horas;
Criança (1 a 2 anos): 11 a 14 horas;
Pré-escolar (3 a 5 anos): 10 a 13 horas;
Criança em idade escolar (6 a 13 anos): 9 a 11 horas;
Adolescente (14 a 17 anos): 8 a 10 horas;
Adulto (18 a 64 anos): 7 a 9 horas;
Idosos (65 anos ou mais): 7 a 8 horas.

Se você frequentemente dorme mais do que o recomendado, tem insônia e não consegue mudar esses hábitos, converse a respeito com um clínico geral. Ele poderá investigar se alguma condição médica está causando o excesso de sono e, se for necessário, pode encaminhar você para um especialista.

Referências:
Oxford Journals
Journal Sleep
American Academy of Sleep Medicine

Previous Pare de permitir que o trabalho e os estudos prejudiquem o seu sono
This is the most recent story.